Toda Disciplina

Funções da Linguagem: o que é, tipos e exemplos

A linguagem em si, como bem sabemos, é nada mais que uma forma de comunicação interpessoal. Quando analisamos suas funções, observamos que surgem diversas formas de comunicação, e todas conforme a intenção do comunicador. As funções da linguagem, portanto são divididas em seis:

  • A função referencial;
  • A função emotiva;
  • A função poética;
  • A função fática;
  • A função conotativa;
  • Função metalinguística.

Estando, todas estas atreladas a tópicos presentes na comunicação, tais como emissor, receptor, mensagem, contexto, código e canal. Desta forma, é determinado o objetivo da comunicação. É possível ainda que existam várias funções de linguagens em um mesmo texto.

As funções da linguagem: estude cada uma das seis funções da linguagem com exemplos

Linguagem Referencial: saiba tudo sobre essa função da linguagem

Também pode ser chamada de linguagem denotativa ou informativa. Se trata de uma função na qual o principal objetivo é a informação. Pode ser encontrada em livros didáticos, em textos jornalísticos ou em textos científicos. Possui uma linguagem denotativa (isto é, descreve fatos).

Exemplo:

Hoje, foram encontrados em Belo Horizonte, 15 espécies de aves que haviam até então sido declaradas como extintas

Linguagem emotiva ou expressiva

Este tipo de função tem como objetivo transmitir emoções, sentimentos e diversos tipos de subjetividades por meio da própria opinião (portanto é feito em primeira pessoa). Possuí um caráter pessoal e individual, e pode ser encontrado em textos poéticos, diários, cartas, biografias, entre outros.

Exemplo:

EU

Sou composta por urgências:
minhas alegrias são intensas;
minhas tristezas, absolutas.
Entupo-me de ausências,
Esvazio-me de excessos.
Eu não caibo no estreito,
eu só vivo nos extremos.

Pouco não me serve,
médio não me satisfaz,
metades nunca foram meu forte!

Todos os grandes e pequenos momentos,
feitos com amor e com carinho,
são pra mim recordações eternas.
Palavras até me conquistam temporariamente…
Mas atitudes me perdem ou me ganham para sempre.

Suponho que me entender
não é uma questão de inteligência
e sim de sentir,
de entrar em contato…
Ou toca, ou não toca

Clarice Lispector

A função poética

A diferenciação que pode ser feita entre esta linguagem e a anterior, é que a função poética pode não ter um caráter emocional ou individual. Se trata de obras literárias no geral e possui um sentido conotativo. Seu principal aspecto é o foco em como será transmitido seu principal objeto comunicativo: a mensagem. Além de textos literários, podemos encontrá-la em publicidades e até em expressões corriqueiras com o uso de metáforas.

Exemplo:

De manhã cedo já corria pelas ruas a jovem criança. Mal sabia quanta amargura a esperava em sua velhice, e de amarguras estamos todos nós, adultos afundados.

A função fática

Esta trata-se de uma função na qual se encaixam os diálogos, principalmente. Seu principal foco é estabelecer ou interromper a comunicação principalmente entre emissor e receptor. Podem ser saudações, ou até mesmo diálogos retratados.

Exemplo:

– Nossa vovó, que olhos grandes você tem!

– É para te enxergar melhor, minha netinha.

[…]

Função Conotativa ou apelativa

A função de linguagem conotativa ou apelativa tem um papel persuasivo. Seu objetivo é atrair o leitor, ou seja, neste caso, o foco é o receptor. Ela pode ser encontrada em publicidades no geral, discursos políticos e tem como narrador a segunda ou terceira pessoa. Uma característica é a presença de verbos no imperativo.

Exemplo:

“Vote 13!”

“Abuse e use!”

Função metalinguística

A linguagem metalinguística é aquela que através de recursos linguísticos tenta explicar a si mesma. Um exemplo desta função são livros de gramática, dicionários e etc.

Exemplo:

Amor: forte afeição por outra pessoa, nascida de laços de consanguinidade ou de relações sociais.

Confira, agora, exercícios de funções da linguagem no Toda Disciplina

1 . (ENEM – 2012) Leia o texto abaixo e assinale a alternativa correta.

Desabafo

Desculpem-me, mas não dá pra fazer uma cronicazinha divertida hoje. Simplesmente não dá. Não tem como disfarçar: esta é uma típica manhã de segunda-feira. A começar pela luz acesa da sala que esqueci ontem à noite. Seis recados para serem respondidos na secretária eletrônica. Recados chatos. Contas para pagar que venceram ontem. Estou nervoso. Estou zangado.

CARNEIRO, J. E. Veja, 11 set. 2002 (fragmento).

Nos textos em geral, é comum a manifestação simultânea de várias funções da linguagem, com o predomínio, entretanto, de uma sobre as outras. No fragmento da crônica Desabafo, a função da linguagem predominante é a emotiva ou expressiva, pois

a) o discurso do enunciador tem como foco o próprio código.

b) a atitude do enunciador se sobrepõe àquilo que está sendo dito.

c) o interlocutor é o foco do enunciador na construção da mensagem.

d) o referente é o elemento que se sobressai em detrimento dos demais.

e) o enunciador tem como objetivo principal a manutenção da comunicação. 

2. (ENEM-2010)

“A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres vivos, se divide em unidades menores chamadas ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento e migrações.”

DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

Predomina no texto a função da linguagem

a)  emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia.

b)  fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação.

c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem.

d)  conativa, porque o texto procura orientar comportamentos do leitor.

e) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais.

Avatar

Camila Sousa

Editora de conteúdos educacionais do Toda Disciplina desde maio/2019.

Artigo atualizado por último em:

Tem uma dúvida sobre esse assunto? Envie para nós!