Toda Disciplina

Alexandre, o Grande: quem foi, conquistas e biografia

Alexandre, O grande!
Alexandre, o Grande, confira sua biografia no Toda Disciplina.

Alexandre III Magno, filho de Felipe II, rei da Macedônia com Olímpia, descendente de uma família nobre do Reino de Epiro (atual Albânia). Nasceu no dia 20 ou 21, de Julho de 356 a.C, em Pela, capital da Macedônia, território que hoje corresponde à Grécia.

Foi educado em política, nas ciências físicas e naturais, medicina, geografia, filosofia e retórica.

Quando falamos em formação, Alexandre teve a melhor educação da época. Sendo aos 13 anos educado pelo filósofo grego Aristóteles.

Grande desde muito jovem

Alexandre, O grande!
Alexandre doma Bucéfalo

Alexandre se demonstrou muito corajoso e capaz ainda muito jovem.

Diz os textos que seu pai Felipe II, tinha recebido a oferta de um cavalo de guerra, um garanhão majestoso e belo, chamado Bucéfalo (Cabeça de Boi). Vendo a rispidez do cavalo, julgando ser impossível de ser montado, Felipe estava prestes a recusar a compra do animal. Porém, Alexandre insistiu ao pai que o permitisse domar o animal.

Assim que foi lhe dada a permissão, pegou o animal e o colocou contra o sol e como mágica, montou o cavalo que até então, era tido como indomável. Alexandre percebeu que Bucéfalo tinha medo da própria sombra. Foi o início de uma grande parceria entre Bucéfalo e Alexandre.    

Seu pai ficou tão admirado com o ocorrido, que disse:  “Meu filho, você deve encontrar um reino grande o bastante para as suas ambições. A Macedônia é pequena demais para você.”

Assumindo o Trono

Alexandre, O grande!
Morte de Felipe II

Alexandre estava com 20 anos quando o seu pai foi assassinado no caminho do teatro de Egas, onde seria a comemoração do casamento da sua filha, Cleópatra da Macedônia.
Felipe II foi esfaqueado pelas costas por um dos seus guardas chamado Pausânias. Dado a esse fato, Alexandre passou a governar.

Alguns historiadores acreditam que Alexandre tenha mandado matar seu pai, pois, haviam rumores de que Felipe II desejava passar o trono para o seu filho recém nascido  

Alexandre passou os dois primeiros anos de seu reinado percorrendo todo o reino do seu pai, pois precisava aniquilar qualquer rebelião, unificando o reino. Por conseqüência disso ganhou duas posições importantes:Chefe da liga de Corintos ( União de várias comunidades gregas) e General do exército Macedônico.

A Falange

Alexandre, O grande!
A Falange

Formação de batalha criada por Felipe II, a falange era a mais temida formação em terrenos planos, praticamente imbatível.

Era constituída por 16 fileiras de 16 homens com lanças de 6 metros, feitas de corniso. Uma madeira muito resistente e escudos.

As linhas de trás da falange seguravam as lanças para cima, impedindo assim a visão das tropas que vinham atrás para o apoio, enquanto na frente tinha uma parede de escudo com dezenas de pontas de lanças.

Por que Alexandre é o Grande?

Cerco de tiro

Alexandre, O grande!
Cerco a cidade de Tiro

Alexandre tentou invadir a cidade de Tiro, mas acabou se deparando com muros que tornavam a invasão muito difícil. Então, decidiu cercar a cidade. O cerco durou sete meses, mas a cidade de Tiro não se rendeu.

Sendo assim, decidiu fazer uma estratégia de guerra inusitada. Construir uma ponte, ligando a costa à ilha de Tiro. Para isso, usou escombros da antiga da antiga cidade de Tiro, com a finalidade de se aproximar, e com seus equipamentos de cerco, abrir brechas nos muros. Porém, o povo tirense decidiu se juntar à luta, matando 400 soldados macedônios.
Isso deixou Alexandre muito irritado, que quando invadiu a cidade, destruiu quase metade dela, e o povo que ficou vivo, foi vendido como escravo.

Batalha Guagamela  

Alexandre, O grande!

Foi uma batalha travada no noroeste da Ásia Menor, próximo à Tróia. Nessa travada, Alexandre venceu os sátrapas persas, aliados do rei Dário da Persa. Igualmente venceu os muitos mercenários gregos.

O exército de Alexandre estava em menor número e em território estrangeiro, mas nada disso foi superior às suas estratégias de combates.

Alexandre, o Grande, iniciou o combate, indo frente à frente com a linha de Dário, mas em determinado momento, a sua linha da direita começou a se mover de forma oblíqua, o que fez com que as linhas de Dario se desfizesse. Com a infantaria de suporte, dardos e lanças, Alexandre conseguiu ir minando a forças de Dario.   

Essa batalha foi o declínio do império de Dario e decisiva para abrir o Oriente aos macedônios.

Batalha de Hidaspe

Alexandre, O grande!
Batalha de Hidaspe

Batalha travada às margens do rio Hidaspe, contra os indianos liderados por Poro.

Nessa batalha os indianos tinham homens e elefantes. Para ser mais exato, Poro tinha 200 elefantes de guerra e 35 mil homens.

Todavia a força de Alexandre era de 75 mil homens vindos de todas as partes que dominou, inclusive a própria Índia.

Mas, mesmo tendo superioridade numérica, Alexandre, o Grande, não poderia atacar de frente seus inimigos. Isso por dois motivos:

1°- Havia um rio que separava os dois exércitos;

2°- Os indianos tinham Elefantes.

Se Alexandre, o Grande, atravessasse o rio de qualquer maneira para atacá-los, os cavalos se assustariam com os elefantes, sendo assim eles ficariam em desvantagem.

Mapa do departamento de história da Academia Militar dos Estados Unidos.

Então, Alexandre e parte da sua tropa, cruzaram o rio, 27 km acima do seu acampamento.

Destacamentos ficaram esperando entre o ponto de travessia e o acampamento, tinham ordens de atravessar assim que vissem os indianos dedicados a batalha.

O acampamento de Crátero, também tinha que estar pronto para a travessia, mas suas ordens eram de atravessar quando Poro, trouxesse todos os seus elefantes para o campo de batalha.

Contrariando os pensamento de Poro, que se preparou para um ataque frontal. Alexandre, o Grande contudo dividiu suas tropas atacando tanto da direita, quanto da esquerda. Atordoando assim os soldados indianos. Lançou também um ataque por trás, os indianos ficaram tão perdidos que os elefantes se trombavam e caiam matando vários dos seus.

Alexandre vence a batalha mas, perde seu grande companheiro Bucéfalo, devido a velhice e aos ferimentos da batalha.

Bucéfalo foi enterrado com honras e em sua homenagem, Alexandre fundou a cidade de Bucéfala.

Mapa do departamento de história da Academia Militar dos Estados Unidos.

A morte do Grande

Pouco tempo após a conquista da Índia, local esse que se acreditava ser o fim do mundo. Alexandre dava um banquete, na Macedônia, quando inesperadamente caiu doente. 14 dias depois, no dia 10 de junho de 323 a.C, aos 32 anos de idade, estava morto o conquistador do mundo.

Em apenas 13 anos, Alexandre conquistou da Macedônia à Índia.

Foi, ao mesmo tempo, rei da Macedônia, Ásia, Faraó do Egito. Tudo isso em apenas 13 anos.

Outro detalhe que faz de Alexandre, o Grande, é que apesar de 13 anos lutando, nunca perdeu uma única batalha.

Nos dias de hoje, esse fato faz com quê exércitos de grandes nações, como por exemplo, dos Estados Unidos, se interesse pelas estratégias de combate de Alexandre.

Artigo atualizado por último em:

1 Dúvida