Toda Disciplina

Entenda o que significa o fato social de Durkheim

Este é Émile Durkheim
Émile Durkheim, um dos pais da Sociologia. Foto: Reprodução/Internet

Émile Durkheim é um dos pais da Sociologia. Através de seu trabalho, ele legou diversas teorias, como a do fato social.

Você sabe qual é o conceito de fato social? O Toda Disciplina produziu esse artigo para tratar sobre esse assunto com detalhes. Vem conosco!

Vamos nessa aprender tudo sobre o fato social de Durkheim

Em 1883, Durkheim, em sua tese de doutorado, elaborou um estudo que aborda a interação social entre indivíduos da sociedade.

O sociólogo explica de maneira clara o que é fato social: são as formas de agir, sentir e pensar que exercem influência e coerção sobre os indivíduos para se adaptarem à sociedade em que vivem.

Sobre isto, o que deve ficar muito claro é que os instintos, como comer, beber e dormir não são fatos sociais (fenômenos que compõem o fato social)

Da mesma forma, atitudes racionais e pensadas, mas que sejam desconhecidas para o restante da sociedade, também não são fatos sociais.

Assim, podemos nos perguntar: então, o que é e quais são as ações que se encaixam no conceito de fato social.

Para Durkheim, o conceito de fato social pode ser dividido em três tipos de fenômenos: generalidade, coercitividade e externalidade.

A generalidade é composta pelos fatos sociais coletivos, ou seja, eventos que existem de maneira coletiva para todos na sociedade.

A coercitividade é a forma de coação a que os padrões culturais de uma sociedade são impostos aos indivíduos.

E a externalidade consiste em todas as normas, leis e instituições que existem antes da pessoa nascer que ela deve aprender para viver em sociedade.

Exemplo do que é fato social

Durkheim elaborou estudos sobre como os indivíduos interagem na sociedade
Durkheim elaborou estudos sobre como os indivíduos interagem na sociedade. Foto: Reprodução/Internet

É possível entender como fatos sociais também comportamentos e atitudes cotidianas, como pagar impostos e trabalhar.

Ademais, outros exemplos são o idioma, as instituições políticas, regras jurídicas, conceitos morais.

Mas, o que mais pode gerar compreensão é o exemplo da educação, pois a mesma se encaixa nas três esferas do conceito de fato social.

Primeiro que ela é imposta aos indivíduos, assim exerce coercitividade.

Segundo que ela tem uma existência anterior ao nascimento de cada pessoa, o que se encaixa em exterioridade.

E, finalmente, ela pode ser observada atuando em toda a sociedade – o que também a caracteriza no contexto de generalidade.

Então, devemos entender que os fatos sociais se relacionam e fazem com que a sociedade se relacione entre si.

Durkheim definiu a existência de dois tipos de sociedades: as tradicionais e as modernas.

O que é fato social e a sociedade para Durkheim?

Agora que já vimos o que é fato social, vamos adiante:

O sociólogo francês entendia a sociedade como totalmente secular, ou seja, a base de seu pensamento é que os fenômenos sociais ocorrem por causa dos fatos sociais e não de eventos religiosos.

Assim, para Durkheim a sociedade se sobressai sobre o indivíduo, de forma que obriga-o a se adaptar a ela.

Isto porque quando qualquer indivíduos nasce há um mundo, um país e uma sociedade que já existem antes dele.

E, desta forma, o indivíduo deve se adaptar às culturas, costumes, línguas estabelecidas pela sociedade em que nasceu.

Porém, Durkheim dividiu a sociedade em dois tipos:

  1. Sociedades tradicionais: são as que imperam o desejo e pensamento coletivo ao individual;
  2. Sociedades Modernas: Justamente o contrário, as que há predominância do desejo e pensamento individual sobre o coletivo.

As primeiras (tradicionais) foram as comunidades indígenas, em que se vivia na base da coletividade.

As segundas (modernas) fazem jus ao nome dado pelo sociólogo, pois são as sociedade capitalistas em que vivemos hoje.

Dentro desta perspectiva de Durkheim, a sociedade só pode existir com coesão entre os pensamentos e ações das pessoas que vivem nela. E assim forma-se consenso.

Solidariedade Durkheimiana

Durkheim designou este consenso de solidariedade, que pode ser de dois tipos: mecânica e orgânica.

A solidariedade mecânica pode ser observada quando os integrantes da sociedade partilham as mesmas noções, valores sociais, morais e religiosos.

Já a solidariedade orgânica é quando na sociedade os homens não possuem os mesmos os mesmos valores e crenças e os interesses individuais são muito diferentes.

O primeiro tipo (mecânica) ocorreu nas sociedades tradicionais, como nos agrupamentos tribais e clãs.

O segundo (orgânica) ocorre nas sociedades modernas, como as que existem atualmente.

Assim, para Durkheim só é possível a existência de uma sociedade quando há coesão social.

O que é coesão social para Durkheim?

Apesar de garantir a existência de uma sociedade, Durkheim frisa que a existência de coesão social não necessariamente fará dela pacífica.

Todos pensam igual quando há coesão social?
Todos pensam igual quando há coesão social? Foto: Reprodução/Internet

Coesão social deve ser entendida apenas como o que une determinado grupo social ou sociedade. O que é diferente do conceito de fato social.

Para cada indivíduo integrar esta sociedade ele deve aceitar os fatos sociais com base nas três divisões que Durkeim fez sobre o fato social.

A generalidade, a coercitividade e a externalidade são as influências que agem sobre indivíduo de modo que ele consiga se encaixar na sociedade em que nasceu.

E sob estas formas que cada indivíduo se estabelece no “todo social” e esta sociedade se unifica, pois os seres viventes nela possuem regras estabelecidas e impostas ao indivíduo.

Isto é o que gera a coesão social. Sem ela, devemos entender, que não há sociedade.

E que, apesar de a coesão social não ser determinante para uma sociedade boa, sem ela a sociedade só piora.

Então, como podemos ter uma sociedade melhor para Durkheim?

Além de explicar o conceito de fato social, Durkheim também pensou algumas respostas para isto.

A primeira é que, segundo seu pensamento, é de que é na infância que os indivíduos passam pelo processo de socialização.

Desta forma, é possível agir como influência positiva para a pessoa durante sua infância.

Outro ponto para Durkheim é o estabelecimento de instituições confiáveis que regulem normas e regras vigentes em determinada sociedade.

Ou seja, é de suma importância que as instituições políticas, econômicas e sociais de um povo sejam conduzidas sob boas práticas.

Em outras palavras, a exclusão e repressão da corrupção na vida social, econômica e suas instituições é outro caminho apresentado pelo pensador.

Esse foi mais um artigo sobre a disciplina de Sociologia, produzido pelo Toda Disciplina para contribuir com seus estudos escolares e universitários, para a prova do ENEM e de vestibulares bem como para concursos públicos.

Para ficar por dentro de todos os nossos conteúdos, siga-nós em nossas redes sociais.

Fica a dica! Até a próxima!

Daniel Romão (jornalista)

Daniel Romão (jornalista)

Bacharel em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Veiga de Almeida (RJ). Registro profissional como Jornalista pelo Ministério do Trabalho sob o número 0040255/RJ.

Artigo atualizado por último em:

Tem uma dúvida sobre esse assunto? Envie para nós!